Carnê GPS: veja como preencher a guia corretamente

Preencher o carnezinho do INSS é mais fácil do que parece. Confira!

Mesmo sem trabalhar com carteira assinada, qualquer pessoa tem direito aos benefícios previdenciários, desde que contribua com o INSS. Uma forma de fazer isso é através do carnê GPS. Ao pagar a Guia da Previdência Social todo mês, o cidadão mantém as contribuições em dia.

O carnê GPS é laranja e pode ser encontrado à venda nas bancas de jornal e papelarias. No lado direito de cada folha que compõe o carnê estão os campos em branco que precisam ser preenchidos. Todo cuidado é pouco para informar os dados pessoais corretamente, bem como o código de pagamento.

A Previdência Social trabalha com dois planos de contribuição para autônomos: o simplificado, com alíquota reduzida de 11%, e o normal, de 20%. No plano simplificado, o segurado pode contar com todos os benefícios previdenciários, exceto aposentadoria por tempo de contribuição. No caso da alíquota de 20% os recolhimentos valem como tempo de serviço.

Como preencher o carnê GPS?

Guia que consta no carnê GPS.

Veja abaixo como realizar o preenchimento da guia de pagamento corretamente:

1 – Código de pagamento

O primeiro campo que precisa ser preenchido é o código de pagamento. O INSS trabalha com muitos códigos, que representam os diferentes tipos de contribuintes e as alíquotas.

Para contribuinte facultativo, que não exerce uma atividade remunerada, o código é 1406 para alíquota de 20% e de 1473 para alíquota de 11%. Vale lembrar que esse percentual sempre será calculado com base no teto mínimo da previdência (salário mínimo nacional) ou o teto máximo da Previdência.

Já o contribuinte individual, que trabalha como autônomo e não presta serviço à empresa, utiliza o código de pagamento 1007 ou 1163. Nos dois casos há diferenciação das alíquotas, por isso é importante verificar corretamente o código.

Há, ainda, o código 1929, referente à alíquota de 5%. Essa opção é destinada para donas de casa e empreendedores individuais, que se enquadram na categoria de contribuinte facultativo de baixa renda (MEI). Para ser beneficiado pela alíquota reduzida, a dona de casa deve se inscrever no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal. Esse tipo de contribuição dá direito apenas à aposentadoria por idade ou por invalidez.

Na imagem abaixo, você pode verificar os principais códigos de recolhimento da Guia da Previdência Social (GPS).

Códigos de recolhimento mais usados no GPS.

Para conhecer os demais códigos para pagamento do GPS, acesse a página da Receita Federal.

2 – Competência

O mês de competência é sempre o mês anterior. Portanto, ao pagar a guia de agosto, você está fazendo a contribuição referente a julho. A data de pagamento deve ser até dia 15 de cada mês. Quem paga atrasado tem acréscimo no valor, com multa e juros.

3 – Identificador

No campo “Identificador” é necessário informar o NIT, ou seja, o Número de Identificação do Trabalhador. É o mesmo número do PIS ou PASEP.

4 – Valor do INSS

Nesse item, o segurado deve colocar o valor da contribuição, ou seja, o quanto será recolhido. Para calcular, é só aplicar a alíquota correspondente. Quem contribui com 20% sobre o salário mínimo, por exemplo, precisa pagar R$ 199,60. Repita o valor da contribuição no campo “Total”.

5 – Nome/Telefone/Endereço

No lado esquerdo da guia, informe o nome completo, o número de telefone e o endereço.

Depois de preencher a guia do carnê GPS, você deve pagá-la na casa lotérica ou agência bancária.

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 5
Total de Votos: 1

Carnê GPS: veja como preencher a guia corretamente

Comente