Cálculo da Desaposentação: entenda melhor como é feito

Saiba agora como calcular o pedido de troca da sua aposentadoria.

Já tinha ouvido falar antes no assunto ou é a primeira vez que se depara com o tema cálculo da desaposentação. Você pode estranhar o nome difícil, mas a desaposentação é muito simples.

Existe a possibilidade de efetuar uma troca da aposentadoria atual. Para isso, é feito um cálculo. Se você contribuiu por longos anos e se aposentou, mas continuou fazendo contribuição ao INSS, este artigo é para você. Confira mais sobre o tema.

O cálculo da desaposentação deve ser feito por um advogado.

Esclareça as dúvidas sobre o cálculo da desaposentação. (Foto: Divulgação)

Como é feito o cálculo da desaposentação?

1 – Documentação

Você deverá entregar ao seu advogado encarregado do caso uma cópia da sua Carteira de Trabalho (CTPS). Nela deve constar o contrato de trabalho que foi feito após a sua aposentadoria.

O advogado deve fazer um requerimento junto ao INSS da Carta de Concessão do seu benefício, além do CNIS e, ainda, a Relação dos Salários de Contribuição.

Essa relação é fundamental, uma vez que traz todos os recolhimentos feitos nesse período de trabalho.

Você deve apresentar, ainda:

  • RG (documento de identidade)
  • CPF
  • Carteira de Trabalho (CTPS) ou outro documento que prove que você continuou contribuindo após a aposentadoria.
  • Contrato de Trabalho datado depois de sua aposentadoria
  • Carta de concessão da aposentadoria

2 – Recálculo

Com base na Relação dos Salários de Contribuição, o advogado irá verificar os valores atualizados.

Mas fique atento: pode ser que o seu valor de aposentadoria final se torne inferior ao atual. Tudo por causa das novas regras para a aposentadoria.

Então vale a pena pesquisar antes e se certificar de que todo o trabalho de entrar com o pedido de desaposentação irá valer a pena. Consulte um profissional da área para te orientar quanto a isso.

E como é feito esse cálculo? Até 2018, ainda será válida a regra 85/95.

Isso quer dizer que as pessoas de sexo feminino devem ter 85 pontos da soma de sua idade com o tempo de contribuição ao INSS. Já o sexo masculino deve ter um total de 95.

Sobre o tempo de contribuição mínimo para a aposentadoria, é claro que existe um período fixado. A contribuição mínima das mulheres é de 30 anos, e a contribuição aceita para homens é de 35 anos.

3 – Desaposentação Junto ao INSS

A desaposentação requer a contratação de um advogado. (Foto: Divulgação)

A desaposentação não é feita diretamente com o INSS. Na verdade, o procedimento não é aceito pela Previdência Social, a não ser que o beneficiário procure seus direitos “por fora”.

Para conseguir isso, é necessário que você contrate um advogado para levar seu caso adiante e mover uma ação na Justiça solicitando o novo cálculo e a troca pela nova aposentadoria.

Como já adiantamos, esse procedimento pode tanto ser benéfico quanto pode ser frustrante, uma vez que os cálculos são feitos com base em números atualizados e regras atuais do INSS.

Então converse com o seu advogado sobre os riscos e verifique se tem o interesse de prosseguir com essa solicitação de recálculo.

Contrate um advogado de confiança para entregar a sua situação e pedir o cálculo da desaposentação. Peça toda a orientação necessária sobre o assunto. Compartilhe as informações.

Avalie este conteúdo!

Avaliação média: 5
Total de Votos: 1

Cálculo da Desaposentação: entenda melhor como é feito

1 comentário

  • Aurea Maria Gomes de souza:

    Pedi minha aposentadoria por tempo de serviço. Tenho 31 somando o tempo trabalhado com o tempo de auxílio doença. O INSS alegou que só tenho 29 anos. Não foi somado os anos quebrados.Esta na justiça o pedido.Em junho completo 60 anos.Pretendo pedir aposentadoria por idade. Será que poderei pedir renúncia deste benefício e ficar com a aposentadoria por contribuição caso o valor seja maior?

    Responder

Comente